Como Desenvolver Relações Saudáveis e Conscientes?

Há muito tempo que tomei consciência que as nossas relações interpessoais são as águas que nutrem as nossas vidas.

O ser humano é um ser social e a necessidade de conexão emocional é uma necessidade básica, tão importante como comer ou dormir.

Mas há muito a dizer sobre as relações interpessoais. Elas são fonte de grandes alegrias, mas também de grandes frustrações e tristezas, e são a razão porque muitas pessoas procuram terapia.

A verdade é que de onde eu observo, a maior parte das pessoas não sabe estar em relação. Não, pelo menos, numa relação consciente, saudável, autêntica e satisfatória.

A falta de autenticidade e intimidade na maioria das relações, faz com que haja escassez de verdadeira conexão entre as pessoas. O resultado é o sentimento de se estar sozinho no meio da multidão.

Identidade da Relação

Uma relação é composta por três componentes. O sujeito A, o sujeito B e a identidade da relação, que vamos chamar de componente C. Uma relação é então uma constante dinâmica entre estes três componentes.

Se numa determinada relação algum destes três componentes não for nutrido e respeitado, mais tarde ou mais cedo, ela apresentará sintomas, entrará em crise ou até ruptura.

Por exemplo, existem relações com dinâmicas de dominância em que um dos sujeitos domina a relação, não havendo espaço para a individualidade do outro e para a co-criação consciente da identidade da relação. Fazer trabalho interior e praticar a solitude, é fundamental para que se possa sair deste tipo de padrão relacional.

Por outro lado, há relações em que há espaço para a individualidade de cada um dos sujeitos, contudo, não há nutrição da identidade da relação. Quando a relação em si não é nutrida, mais tarde ou mais cedo acaba por quebrar.

Uma relação saudável e consciente é uma constante dinâmica, movimento, destes três componentes. Cada um deles deve ser nutrido através do trabalho interior, da solitude e intimidade, e da comunicação autêntica.

Tal como a individualidade é uma obra em constante construção, também as relações interpessoais são uma constante co-criação entre dois indivíduos. Ela tem a sua própria consciência e energia (informação) e é composta por um conjunto de ideias, crenças, regras, desejos e fantasias que se moldam ao longo do tempo.

Quanto maior a autoconsciência dos sujeitos, maior a consciência da própria relação.

Trabalho Interior

As relações são um encontro entre dois universos completamente distintos, que trazem consigo bagagens do passado, memórias, feridas, crenças, ideias, imagens mentais e expectativas.

Se queres desenvolver relações mais saudáveis e conscientes, a primeira coisa que tens de começar a fazer é trabalhar em ti mesma/o e no teu autoconhecimento. Há muitas formas de o fazeres. Uma maneira simples e que podes iniciar já, é o meu programa online Jornada do Despertar 21 Dias.

“Todos trazemos dentro de nós feridas do passado, que quando não são conscientes, podem criar verdadeiros desafios para as relações.”

Raquel Matos

Através do teu trabalho interior, vais ficar mais consciente dessas feridas e da maneira como elas influenciam o teu dia-a-dia, vais tornar-te mais auto-consciente das tuas emoções, aprender a autoregular-te, e com isso desenvolver maior independência emocional.

Vais também aprender a usar consciente e correctamente a tua mente, os teus pensamentos e palavras, de modo a construir uma narrativa pessoal mais satisfatória, bem como aprender a observar e a trabalhar a tua energia interna.

Este trabalho, é um trabalho profundo de autoconhecimento, sanação e despertar da consciência, e que se faz em terapia.

Solitude e Intimidade

Muitas pessoas confundem solitude com solidão. Por solitude entendemos a capacidade de se estar sozinho e apreciar a própria companhia. O sentimento de solidão por seu turno, está relacionado com as feridas do passado.

Desenvolver a solitude é muito importante para o desenvolvimento de relações saudáveis e conscientes, pois ela é a base para a verdadeira intimidade.

“Só seremos capazes de ser íntimos com os outros, quando formos capazes de ser íntimos connosco mesmos”.

José Maria Doria

Desenvolver intimidade contigo mesma/o vai também trazer-te consciência para quem és e para o que queres na tua vida, e isso é fundamental para a co-criação de relações conscientes, saudáveis, e para o bom desenvolvimento da comunicação autêntica.

Comunicação Autêntica

A boa comunicação é fundamental para o desenvolvimento de relações conscientes e saudáveis. Eu diria que mais de 90% dos problemas que surgem nas relações, se devem à má comunicação inter e intrapessoal.

Por seu turno, uma comunicação que não seja autêntica, é veneno que aos poucos vai degradando a relação.

Para se desenvolver uma comunicação autêntica todos os passos anteriores, o trabalho interior, a solitude e intimidade são fundamentais, pois eles vão ser os fundamentos que vão criar a relação mais importante da tua vida, a relação contigo mesma/o!

Contudo, por si só, não chegam para a criação de uma comunicação autêntica. De seguida partilho as duas práticas alicerces da comunicação autêntica.

1 – Escuta Activa

Se queres desenvolver uma comunicação autêntica, a primeira coisa que tens de aprender a fazer é escutar. São poucas as pessoas que conseguem verdadeiramente escutar. Ouvir o outro sem o interromper, dando espaço para que ele se possa expressar na sua totalidade e num espaço de total aceitação.

A maior parte das pessoas quando ouve alguém, na realidade não está a ouvir. Está na verdade a pensar sobre o que vai dizer a seguir e/ou na sua opinião sobre o assunto que está a ser relatado. Mas atenção malta…isto não é saber ouvir!

  • Deixo-te hoje o convite para que observes a tua capacidade de ouvir verdadeiramente o outro, e que nos próximos dias tenhas a prática da escuta activa como parte do teu sadhana (prática espiritual).

2 – Partilha Autêntica

A segunda prática fundamental para se desenvolver comunicação autêntica é a partilha autêntica. A partilha autêntica implica que sejamos capazes de reconhecer e verbalizar aquilo que verdadeiramente sentimos.

Quando praticamos a partilha autêntica focamos a nossa comunicação nos factos, ou seja, não apontamos dedos ou fazemos acusações, e assumimos a responsabilidade por aquilo que é nosso, nomeadamente os nossos sentimentos e pensamentos.

Um exemplo de partilha autêntica é dizer – “Quando alguém chega atrasado eu sinto-me pouco respeitado/a e fico aborrecido/a”, em vez de dizer – “És sempre a mesma coisa, estou farto/a de estar à espera” – num tom de voz chateado.

  • Fica aqui o convite para que observes de que maneira partilhas as tuas experiências interiores, e que faças da partilha autêntica também uma prática diária.

 

Desenvolver uma vida consciente, plena de sentido e significado é uma arte, e sem dúvida que as nossas relações interpessoais são o néctar que adocica e dão cor à nossa existência. Como tudo na vida, a prática faz a excelência 😉

Se queres aprofundar o tema, sabe mais sobre o programa online Jornada do Despertar 21 Dias, um processo que te vai guiar a uma vida mais plena de sentido e significado.

Partilha e comenta!

Add Your Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Marca a tua primeira consulta!

Inicia a tua viagem de transformação.